[Resenha] Entre o Agora e o Nunca



"Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino.Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois.
Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre O Agora e O Nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade."


Série: Entre o Agora e o Nunca
Autora: J. A Redmerski
Editora: Suma Letras
Lançamento: 2013
Páginas: 368


I´ve been travelling but I don´t know where , I´ve been missing you...



Sabe quando você lê um livro, e tem que reler a última frase dezenas de vezes para se conformar com o fim do livro? Então nem imaginem quantas vezes reli:

"O que posso dizer? Este é Andrew, e eu não mudaria nada nele."

 O que eu posso dizer, este é Entre agora e o nunca, eu o amei, e não mudaria nada nele também, pelo contrário!


Antes de lê-lo, tinha visto inúmeras propagandas em blogs sobre o mesmo, vi que era do gênero "new adult" e o estereotipei como sendo iguais aos outros, sem diferença, que seria uma leitura como qualquer outra, mas ai li a sinopse, e não, não era como as outras. diferença já começa na descrição da protagonista, Cam, diferente das outras que estão em busca do amor, ela está em busca do contrário: "Cam, uma jovem de 20 anos que desistiu do amor" tão jovem, e já se sente vencida pela perda? Bem, de cara, eu percebi, "Cara, vou amar esse livro!", dito certo, amei. 


Irresistível, com rock clássico e Texas de fundo, Entre o agora e o nunca, me ganhou rapidamente, nas primeiras páginas, me arrancou inúmeras risadas, choro, e hm, como posso dizer, bem insultos, é. 
Um cara lindo, desconhecido,sincero, mas perdido. Uma garota sensível, com traumas, e uma regra: Nada de caras. 

Cam, cansada de tudo ao seu redor, de todo normalismo, e de pessoas na zona do conforto que não estão dispostas a se aventurar,sem planejamento, apenas com a certeza, de que o amanhã, nunca será como o hoje, sem trocadilhos. Parece que o destino, definitivamente, não vai com a cara de Camryn, mas só parece mesmo. Ao perder seu namorado, e o que ela achava ser o grande, único e eterno amor de sua vida, Cam,vê-se sem chão ao perdê-lo num acidente de carro, 3 meses antes da formatura, 3 meses antes dela realizar seu sonho de sair por ai, só, ao seu lado, sem rumo, apenas com o amanhã certo, e que ele estaria lá. 

Natalie, sua melhor amiga, e Damon seu namorado, tentam de alguma forma reanima-la, mas após um deslize de Damon- e põe deslize nisso- Cam percebe que seu lugar não é ali, e sai, escolhendo sua próxima parada de acordo com as batatas- fritas da atendente, sim, Idaho, a cidade das batas, de acordo com ela. Iniciando ai, toda a graça do livro, e as primeiras de muitas risadas que ao longo dele dei. 

"O dia em que tudo mudou foi ontem. Aquele formigamento no cérebro me forçou a me levantar. E eu me levantei. Mandou
que eu calçasse os sapatos, arrumasse uma pequena mala esportiva com o indispensável e pegasse a minha bolsa. E eu fiz tudo isso."

Embarcando em um ônibus desconfortável, sem saber o que, e porque Idaho, Cam, mal imagina, que vai conhecer a pessoa pela qual sempre procurou, sem nem saber. 

"Um cara entra carregando uma mochila preta no ombro. Alto, cabelo castanho curto e estiloso, usando uma camiseta azul-marinho colada ao corpo e um sorriso meio torto que pode ser genuinamente gentil ou só de autoconfiança"

Ai, o livro começa a ficar muito bom, sério, Andrew, sincero, sarcástico, e com o "gata" que arranca risos e suspiros facilmente, não só de Cam, mas de qualquer leitora, até pelos atos singelos, sempre tentando zelar por ela, mesmo sem ela desconfiar disso. 
Personagens muito bem desenvolvidos, Redmerski, nos cativou, e prendeu nesse enredo, com personagens reais, com problemas reais, buscam seu próprio melhor, sem aquele drama do qual enfraquece a leitura. 

Ao terminar, você para e pensa, nossa ainda bem que a Cam-sono-pesado não dorme com música, e graças a Deus o Camaro 67 do Andrew não funcionou, e que o destino mais uma vez, mostrou a ambos, como o inesperado, pode ser muito melhor. 
Outro fato, que eu amei, e explica eu ter começado essa resenha com uma parte da letra de "Laugh, i nearly died"-Rolling Stones, sim, além de todas as coisas boas que já disse sobre ele, o livro gira todo em torno de rock clássico ♥
Agora me digam, como não ama-lo? Sério, uma fã de clássicos e romances como eu, simplesmente tem que ter um livro assim, como livro de cabeceira, acho. 


A cada nova frase escrita, novos atos feitos, de cada um, via como mesmo com uma linguagem muitos simples, e jovial, com gírias, que acreditem, não "diminuiu" o livro no quesito escrita, nem um pouco, apenas nos ajudou a entrar no universo pelo qual a autora, queria nos transporta e conseguiu! 

Sinceramente? Chorei muito com esse livro, e no fim, quando achei que teria que joga-lo pela janela antes de terminar, para não querer acreditar, no que estava escrito, a razão graças a Deus falou mais alto, e ao continuar vi, que foi um grande jogo da autora, que olha, me deixou um caos. Enfim, definitivamente, se você chegou até aqui, e leu a minha resenha até o fim, o que tenho certeza que deve ser muito longa, devido a minha ressaca desse livro, te aconselho a lê-lo, já!
E como o John(The civil Wars)- Sim, The civil Wars também parece fazer parte do ótimo gosto musical da autora- canta e Andrew sempre diz: 

♫ I'm a dead man walkingI'm a dead man walking... 
E sim, você era até conhecer Cam, e posso dizer com toda certeza, que ela também era! 

Finalmente, super recomendo! 



Image and video hosting by TinyPic
POSTAGENSNOVAS POSTAGENSANTIGAS Página inicial